Perder peso ou perder volume?

Num mundo em que o nosso estilo de vida convida a ganhar primeiro umas gramas e depois uns quilos a mais, aparecem muitas vezes no nosso radar dietas que não são nada abaixo de milagrosas. Estas dietas podem fazer-nos perder peso num curto espaço de tempo, mas estão normalmente associadas a perdas de massa muscular e água, o que nos faz ficar mais cansados e mais irritáveis, além de terem resultados que não conseguem ser prolongados no tempo.

Mas então, como proceder? Não há resultados infalíveis, mas a ciência corrobora que o caminho que devemos traçar deve estar mais focado na perda de volume que na perda de peso.

O QUE TENHO FEITO MAL?

A perda de volume será o caminho mais correcto porque, a maior parte das vezes, o que pretendemos é parecermos melhor nas nossas roupas ou termos uma figura que consideramos mais agradável, quando nos vemos ao espelho. No entanto, muitas dietas resultam em nos pesarmos constantemente, como se fosse esse o único objectivo. Isto advém de muitas dietas serem centradas em restrições calóricas aliadas a exercício físico que nos faz suar, como correr, andar de bicicleta ou nadar.

A ideia subjacente é queimar calorias para reduzir o peso, um conceito que é difícil de manter a longo-prazo, nomeadamente porque podemos abrandar o metabolismo e entrar em carência de nutrientes caso não façamos boas escolhas alimentares, levando a que tenhamos cada vez mais fome e ao mesmo tempo tenhamos de comer cada vez menos.

ENTÃO, QUAL É A SOLUÇÃO?

Os processos de emagrecimento mais bem-sucedidos passam por um foco em perder gordura, não peso. Se mudarmos as nossas percentagens de gordura corporal, o nosso corpo ficará mais definido, tonificado e esbelto. No entanto, como a gordura pesa menos que a massa muscular, poderá não notar diferenças radicais no seu peso, mas, porque a gordura ocupa mais espaço, o seu corpo irá ficar mais magro e com menos volume.

Este conceito, não só mostra como uma dieta focada inteiramente no peso é falaciosa, como também indica o caminho para um corpo mais magro, saudável, bonito e leve. Ou seja, uma dieta em que se procuram resultados prolongados terá que incluir a tonificação muscular, através da combinação de exercícios cardiovasculares e pesos, não para ganhar massa, mas para substituir o peso da gordura por músculo.

Os resultados serão mais permanentes e facilmente verificáveis por uma avaliação da sua massa muscular. Por isso, se pretende verificar o progresso do seu emagrecimento, meça o diâmetro do ventre, da cintura, coxas, pernas e braços.

MAS… E QUAL A DIETA INDICADA?

Não existem receitas milagrosas que façam bem ao seu corpo e tragam bem-estar a longo prazo, mas, deve procurar uma dieta rica em vegetais e proteínas que potencie os resultados da sua actividade física. Para isso, nada melhor que se aconselhar junto da Almond Blossom, onde além de um acompanhamento profissional da sua nutrição terá à disposição um vasto conjunto de especialidades terapêuticas que ajudarão a que tudo funcione.

Fontes: https://joananutricao.blogspot.com/ e https://medium.com/@firdosi/why-is-losing-volume-more-important-than-losing-weight-e798ca698f0a

Emagrecimento

Como a Medicina Chinesa pode ajudar

Nos dias de hoje, a obesidade tornou-se uma verdadeira “epidemia” que avança rapidamente, atingindo níveis preocupantes, principalmente nas populações que vivem nos grandes centros. Segundo a OMS, Portugal é o 3º país da Europa com maior prevalência da doença afetando 1,5 milhões, 16,9% da população.

O fator que desencadeia a obesidade é quase sempre a ingestão excessiva de calorias, associada a hábitos de vida sedentários. A obesidade é caracterizada por uma quantidade elevada de massa de tecido adiposo em relação à massa corporal total e encontra-se descrita e considerada pela Organização Mundial de Saúde como doença, por razões entre as quais estão incluídas as do fato de pessoas obesas apresentarem estimativa de vida reduzida em relação a indivíduos com peso normal, além da alta incidência de doenças que acometem as pessoas obesas, entre elas, doenças cardiovasculares, distúrbios respiratórios, Hipertensão arterial, Diabetes Mellitus, Arteriosclerose , Problemas Articulares entre outros.

A Medicina Chinesa pode ajudá-lo a emagrecer?
A resposta é SIM!
A Medicina Chinesa é uma forte aliada no combate ao excesso de peso. Na Medicina Chinesa o estado de saúde é caracterizado pelo equilíbrio do yin e do yang. Quando ocorre um desequilíbrio entre o yin e o yang, surgem as doenças, como é o caso da obesidade.

Na Dietética Chinesa, os alimentos são definidos pela sua natureza (frio, quente, fresca, morno e neutro) e pelos sabores (ácido, amargo, doce, picante e salgado), cada um com impacto no corpo. Um alimento de natureza fria, arrefece o corpo e retarda as funções fisiológicas; um alimento natural quente aquece, estimula as funções vitais e aumenta o metabolismo. Quanto aos sabores, cada um corresponde a um órgão sobre o qual atua de maneira específica. O sabor ácido influencia o fígado e a vesícula biliar. O sabor amargo influencia o coração. O sabor doce afeta o baço e o pâncreas. A comida picante influência os pulmões. Finalmente, os alimentos salgados influenciam os rins. 

Isto é bastante relevante quando se trata de definir uma dieta de emagrecimento para pessoas com natureza yin ou yang.

Os indivíduos yin têm, por norma, gordura mais flácida, fria, com edemas, são hipotónicos, não comem muito, preferem o sabor doce e têm dificuldade de eliminação. Não são muito adeptos de exercício físico, pois têm menos energia e menos apetite; os indivíduos yang têm, em geral, uma gordura mais concentrada e firme, e são pessoas mais calorentas e ansiosas por comida. Têm preferência por alimentos salgados e picantes. Conseguem emagrecer com mais facilidade, pois são ativas, gostam de exercitar-se e são hipertónicas.

Ao se propor uma dieta de emagrecimento pela MTC, é importante que se observem esses aspetos.

Por exemplo:

Uma dieta hipocalórica, com verduras cruas, saladas e frutas, nem sempre auxiliam uma pessoa yin a emagrecer, pois os alimentos crus têm tendência a arrefecer o metabolismo e tornar mais lento o processo de eliminação das águas e das excretas. Para melhorar o metabolismo dos indivíduos yin, seria necessário associar às verduras e aos legumes crus, temperos que possam aquecer a natureza fria desses alimentos. Sugere-se a utilização de cebola, alho, salsinha, cebolinha, gengibre e outros condimentos como pimenta para auxiliar no equilíbrio entre yin e yang dos diversos sistemas implicados. As verduras que soltam muita água na presença do sal são geralmente de natureza fresca ou fria, tais como o pepino, chuchu. Frutas como melão, melancia, abacaxi, laranja, pera, têm natureza mais fria e devem ser consumidos ou pré-cozidos ou associados com canela (natureza quente).

Por outro lado, pessoas de natureza yang devem evitar comer alimentos quentes e muito gordurosos, pois estes aumentam o apetite tornando-se mais difícil controlar o volume do que se ingere. Uma dieta com alimentos crus seria mais indicada para pessoas de natureza yang com sobrepeso. Porém, seria contraindicado o uso excessivo de pimentas, condimentos, molhos, mostarda etc. Também não é aconselhável utilizar muitos líquidos durante a ingestão dos alimentos. Especialmente aqueles de natureza mais fria, pois dificulta a digestão, a formação do quimo e o movimento de descendência dos alimentos.

A Medicina Chinesa tem inúmeros benefícios na perda de peso, sendo os mais importantes os seguintes:

  • Qualidade do sono: a acupuntura ajuda no reequilíbrio das noites de sono e, consequentemente, menos ansiedade e exaustão. Noites bem dormidas são grandes aliadas no equilíbrio do corpo e manutenção do peso. Um organismo sem stress consome nutrientes adequadamente, e evita uma alimentação compulsiva;
  • Funcionamento do intestino: Combater a obstipação, que provoca inchaço e dor na região abdominal bem como indisposição e outros problemas. Ao estimular o intestino a funcionar melhor, estamos a contribuir para a purificação do organismo e bem-estar;
  • Combater a ansiedade: o desequilíbrio emocional causado pela ansiedade pode comprometer toda a dieta e incentivar os impulsos de comer tudo o que se vê pela frente. O tratamento por meio da acupuntura ajuda a combater a ansiedade e ainda influencia na disposição para a prática de atividades físicas;
  • Controlo de apetite: para perder peso, é essencial controlar a vontade de comer. A Medicina Chinesa ajuda a comer apenas o suficiente para as necessidades do organismo;

Emagrecer com a Medicina Chinesa é um processo individualizado, ajustado ao estado de saúde e aos objetivos de cada pessoa. Com a avaliação e com a identificação dos objetivos de cada pessoa é selecionado o tratamento mais adequado para atingir o reequilíbrio natural e duradouro do peso e da saúde.

Veja também:
Medicina Tradicional Chinesa | Nutrição | Pack Emagrecimento | Pack Anti Celulite | Coaching