Mas… o que é a Medicina Integrativa?

Na AlmondBlossom, a nossa abordagem ao seu bem-estar segue as chamadas Medicinas Integrativas. No entanto, esse é um conceito pouco disseminado, o que, por vezes, cria alguma incerteza. Este artigo irá procurar explicar-lhe o que são, afinal, as Medicinas Integrativas e o porquê de elas serem a abordagem ideal para certos estados de saúde.

Nesta vertente dos cuidados de saúde, procuramos abordar a saúde como um todo, como o resultado, para cada paciente em particular, de todas as partes que influenciam o seu estado de saúde. O pressuposto que sustenta a visão das Medicinas Integrativas é que o bem-estar mental, físico e emocional são partes integrantes de um mesmo todo. Este funciona em conjunto e, como tal, a sua saúde depende de todos os elementos e nenhum desses aspetos deve ser descurado. Acreditamos, por isso, que as terapias devem ser adaptadas aos pacientes e não os pacientes às terapias. Ou seja, melhorar a sua Qualidade de Vida passa não só por tratar problemas de saúde, mas também por intervir na sua atitude, nos seus comportamentos, estilo de vida e autoconsciência.

Estes fatores originam e perpetuam grande parte dos problemas de saúde de quem nos procura, casos tão diversos como a simples procura de maior bem-estar, até situações crónicas ou em que a medicina convencional não consegue influenciar a Qualidade de Vida dos pacientes. A Medicina Integrativa atua, portanto, de forma a que se consigam os melhores resultados, integrando a medicina Ocidental com medicinas complementares ou tradicionais, em tratamentos onde o paciente é o centro das escolhas terapêuticas. Nesse contexto, as intervenções são avaliadas pelos resultados e não pelos pressupostos que as sustentam. De facto, existem cenários os onde conceitos subjacentes a cada terapia poderiam entrar em conflito, mas o primado é do paciente, da sua qualidade de vida.

Assim, Acupuntura, Osteopatia ou Massagens Terapêuticas ajudam nos processos de cura, com terapias não ou minimamente invasivas, em que as descobertas da medicina Ocidental são complementadas pelo conhecimento empírico e história de benefícios conhecidos das medicinas tradicionais. Fundamentalmente, a Medicina Integrativa não é uma alternativa à Medicina Convencional, mas sim um conjunto de terapias que possibilitam um maior bem-estar físico e emocional, o que por sua vez atuará positivamente nos processos de recuperação.

De facto, a própria filosofia que sustenta cada uma das escolas separa-as radicalmente na forma de atuação: enquanto a medicina Ocidental procura soluções para problemas específicos, analisados de forma fisiológica, a Medicina Integrativa age na pessoa como um todo, potenciando o seu bem-estar e mudando a forma como você reage aos problemas de saúde.

E isso faz toda a diferença!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *